NOSSO TRABALHO E O VIII PRÊMIO ARTHUR BISPO DO ROSÁRIO

A Alliance: Mania de Escrever Bem! sente-se extremamente honrada de poder ter feito toda a revisão das poesias vencedoras do VIII Prêmio Arthur Bispo do Rosário na categoria Literatura.  

O Prêmio Arthur Bispo do Rosário foi idealizado com um grande propósito: mostrar ao público trabalhos criados e produzidos por usuários de serviços  de Saúde Mental do estado de São Paulo. Todas as obras concorrentes, que envolvem as categorias Esculturas e Instalações; Pinturas e Ilustrações; FotografiasLiteratura; e Vídeos, são avaliadas e julgadas por profissionais experientes em cada uma dessas áreas.

O Conselho Regional de Psicologia de São Paulo organiza e apresenta as obras vencedoras que, nesta edição de 2018, estão expostas na Estação Sé do Metrô (São Paulo) até o final de maio.

O objetivo é demonstrar que pessoas portadoras de algum tipo de sofrimento psíquico podem se expressar através da arte, garantindo toda o potencial e a real liberdade de expressão.

O patrono do Prêmio é o sergipano Arthur Bispo do Rosário, diagnosticado como esquizofrênico paranoide, que viveu por cinco décadas na Colônia Juliano Moreira, em Jacarepaguá, RJ. Apesar de todo o sofrimento da clausura em um hospício, o artista pôde contribuir para a história da arte brasileira e somar forças para a construção da Luta Antimanicomial no nosso país. 

No início dos anos 60, Arthur Bispo trabalhou como “faz tudo” em uma clínica pediátrica, onde morou isolado no sótão e desenvolveu grande parte de sua produção artística. Morreu na Colônia, espaço manicomialista, que representou seu asilamento e marginalização. Mas o silenciamento buscado por esse tipo de instituição foi irrompido por sua arte. Infelizmente, milhares de pessoas foram e ainda são presas e caladas nos manicômios do país, sem que possam manifestar seus sentimentos e capacidades por meio da arte ou qualquer outra forma de expressão. 

O VIII Prêmio Arthur Bispo do Rosário simboliza para o CRP SP o compromisso real com o direito à liberdade e dignidade humanas, princípios da Luta Antimanicomial.

Imagem 1_Introdução
Imagem: Conselho Regional de Psicologia – São Paulo

Algumas poesias que revisamos

Poesia_2
Imagem: Conselho Regional de Psicologia – São Paulo
Poema
Imagem: Conselho Regional de Psicologia – São Paulo
Poesia_3
Imagem: Conselho Regional de Psicologia – São Paulo

Tomamos um cuidado extremo na revisão de todo os poemas. Cada alteração de vírgula, ponto e vírgula, ponto final, reticências foram cuidadosamente pensados para que não se interferisse em hipótese alguma no trabalho dos autores a fim de manter toda a carga de emoção e de afetividade com que escreveram suas obras. 

Até hoje, ao ler os poemas, nos emocionamos!

Como é possível que pessoas com problemas de transtornos mentais escreverem textos tão lindos, esculpirem trabalhos maravilhosos, pintarem telas belíssimas, tirarem fotos deslumbrantes e darem depoimentos emocionantes? Mas é para isso que serve a arte: para nos dizer que todo e qualquer ser humano é capaz de se expressar livremente e que tem de ter seu espaço garantido para essa manifestação. 

Imagem 2
Imagem: Conselho Regional de Psicologia – São Paulo

 

Imagem 3
Imagem: Conselho Regional de Psicologia – São Paulo

 

Confiram essas e outras obras de arte lá na Estação Sé do Metrô (São Paulo) Como eu disse, vai até o final de maio.

 

Anúncios

ANSIEDADE: A MELHOR DEFINIÇÃO

A melhor definição que já vi sobre andiedade.

Acompanhem o texto.

“Este texto foi originalmente publicado no site Thought Catalog, por Kirsten Corley, e é, de longe, o texto mais simples, direto e esclarecedor que já li sobre o tema. A ansiedade, mal do século, doença que tem feito, ao longo dos anos, uma multidão de mentes cativas, é um mal a não ser desprezado, subestimado ou ignorado. É hora de encará-lo de frente. Você está pronto?

“O que realmente significa ter ansiedade

Vai além de simplesmente se preocupar. Ansiedade significa noites em claro, conforme você suspira e vira de um lado para o outro. É o seu cérebro nunca sendo capaz de desligar. É a confusão de pensamentos que você pensa antes da hora de dormir e todos os seus piores medos se tornam realidade em sonhos e pesadelos.

É acordar cansada mesmo que o dia só tenha começado.

Ansiedade é aprender como funcionar em privação de sono porque você só conseguiu fechar os olhos às duas da manhã.
É toda mensagem que você pensa ‘como fazer isso da forma correta?’. É duas ou três mensagens que você manda caso tenha feito algo errado. Ansiedade é responder mensagens de forma embaraçosamente rápida.

Ansiedade é o tempo que você gasta esperando uma resposta enquanto um cenário se monta na sua cabeça, questionando o que a outra pessoa está pensando ou se ela está brava.

Ansiedade é a mensagem não respondida que te mata por dentro, mesmo que você diga a si mesma ‘talvez ele esteja ocupado ou irá responder depois’.

Ansiedade é a voz crítica que diz ‘talvez ele esteja só te ignorando mesmo’. É você acreditar em cada cenário negativo que você cria.

Ansiedade é esperar. Parece que você está sempre esperando.

É o conjunto de conclusões inexatas que sua mente cria, e você não tem outra escolha a não ser aceita-las.

Ansiedade é se desculpar por coisas que nem precisam ser desculpadas.

Ansiedade é duvidar de si mesma e falta de autoconfiança.

Ansiedade é ser superatenta sobre tudo e todos. Você consegue dizer se alguém mudou de humor apenas pelo tom de voz da pessoa.

Ansiedade é arruinar relacionamentos antes mesmo deles começarem. Ela te diz ‘você está enganada; ele não gosta de você e vai te deixar’. E você acredita.

Ansiedade é um estado constante de preocupação, pânico e viver no limite. É viver com medos irracionais.

É pensar demais, é se importar demais. Porque a raiz das pessoas ansiosas é se importar.

É ter mãos suadas e coração acelerado. Mas por fora, ninguém percebe. Você aparenta estar calma e sorridente, mas por dentro é o contrário.

Ansiedade é a arte da decepção por parte de pessoas que não te conhecem. E das pessoas que te conhecem, é ouvir constantemente ‘não se preocupe’, ‘você está pensando demais’, ‘relaxe’. É sobre seus amigos ouvirem suas conclusões e não entenderem como você chegou nelas.

Ansiedade é querer consertar algo que nem problema é.

É o amontoado de perguntas que te fazem duvidar de si mesma. É voltar atrás para checar novamente.

Ansiedade é o desconforto de uma festa por pensar que todo mundo está te observando e você não é bem-vinda lá.

Ansiedade é tentar compensar e agradar demais outras pessoas.

Ansiedade é estar sempre no horário porque o pensamento de chegar atrasada te deixa em pânico.

Ansiedade é o medo de fracassar e a busca incansável por perfeição. E então se punir quando você falha.

É sempre precisar de um roteiro e de um plano.

Ansiedade é a voz dentro da sua cabeça que diz ‘você vai falhar’.

É tentar suprir as expectativas dos outros mesmo que isso esteja te matando. Ansiedade é aceitar mais do que você consegue lidar para que você se distraia e não pense demais em outros assuntos.

Ansiedade é procrastinar, porque você está paralisada pelo medo de fracassar.

É o gatilho que te faz ter um ataque de pânico.

É estar quebrada na sua privacidade e chorar de preocupação quando ninguém mais está vendo.

É aquela voz crítica dizendo ‘você estragou tudo’ ou ‘você deveria mesmo se sentir um lixo agora’.

Mas mais que qualquer coisa, ansiedade é se importar. É nunca querer machucar alguém. É nunca querer fazer algo errado. Mais que tudo, é o desejo de simplesmente ser aceita e querida. Então você acaba tentando demais às vezes.
E quando você encontra amigos que entendem isso, eles te ajudam a superar juntos. Você percebe que essa pode ser uma batalha que você enfrente todos os dias, mas é uma que não precisa ser enfrentada sozinha.”

Fonte: Revista Pazes